Contador de Visitas

Seguidores

sábado, 9 de fevereiro de 2013




BRASIL! País caranguejo? Hora de reagir!
Ricardo Martins
Observe todos os resultados “economicos” do Brasil, nos ultimos anos, governo Dilma, os balanços de empresas, emprego, balança comercial, divida pública, esta agora supera os 02 trilhões, inflação, esta galopante, assim como todos os preços dentro de um supermercado e assemelhado, tudo isso e mais um pouco, versus a arrecadação de tributos e impostos estes cada vez maiores e na crescente, depois de observar eu pergunto:  o Brasil é ou não um país caranguejo? Que anda prás trás, a mais de 11 anos, além de ser roubado e espoliado em seu erário público todos os dias?

A senhora presidenta Dilma, discipula daquele LULA, aquele mesmo, está por ai mais de 02 anos e nada. O Brasil ao invés de evoluir faz exatamente o contrário, “eles”, LULA e discípulos queriam, em troca de contas polpudas nos paraisos fiscais, fazer do Brasil uma grande potencia externa, contudo internamente sucatearam a Nação! Tudo decresce no Brasil, NADA se arruma ou concerta, literalmente e isso desce como uma cascata nojenta de desinteresse falta de eficiencia e gestão incompetente, por estados e municipios, vide SC, onde um Hospital Público estadual tem goteiras há mais de ano e escolas estão literalmente arrebentadas, como se tivessem sido bombardeadas em uma violenta batalha de uma guerra qualquer. Isso sem considerar os atos criminosos nas ruas onde o estado “bandido” se impõe ao Estado legal.

Nada funciona no Brasil! Educação, saúde, segurança pública, estradas, transportes, aeroportos, controle de preços, a isso se acrescente o mau caráter do empresario brasileiro, enfim, o caos é total. A justiça está vendida e compromentida com esta situação, isso em todos os niveis e representatividades, a TOGA está podre, cheirando mal!  E o povo sofre as consequencias.

Já o Legislativo é o maior antro de quadrilheiros, canalhas, vádios e maus carater que se pode reunir eum pais com mais de 200 milhões de habitantes, a nível federal, estadual e municipal, com raríssimas exceções, raríssimas mesmo.

Desde o municipio, por conta de conchavos e acordos nojentos politicos, os gestores têm que nomear pessoas incompetentes, desinteressadas e ávidas por enriquecer a custa do povo, sem o menor pudor, algo completamente imoral e indecente. Isso ocorre até os mais altos cargos e representatividades da República, vide agora o Congresso Nacional, Senado e Câmara, onde inumeros cumplices elegeram dois, reconhecidamente públicamente, corruptos, venais e safados, a presidencia destas instituições.

É hora de dar um basta nisso! De o povo exigir mudanças efetivas e urgentes, mas com quem contar, com a justiça que temos? Com 30% do Povo, pois a maioria está comprometida e mamando na têta!

Realmente o momento é muito ruim, sob todos os aspectos, vide a fotografia do Brasil neste momento! A Dilma perdida, o Mantega derretendo, os governos estaduais nas mãos de conchavos politicos e acordos sujos, além de gestores que nada sabem, e nas cidades reflexo disto tudo, uma pena, porém muito grave.

Quem pode ajudar? A meu ver, a IMPRENSA poderosa, independente e limpa, os formadores autônomos e livres, de opinião pública, e parte do povo, que deve se atirar a cobrar sem parar e a comprometer os sujos e safados que dominam o nosso querido Brasil!

Um comentário:

Rosemeire Silvério disse...

Muito bom seu desabafo , concordo com voce , ontem fiu ao mercado e lei um suato com os preços , tudo muito caro e de pessima qualidade , estava vendo no nticia que a inflação esta subindo , vejo muito brtasileiro individado ,o salrio não acompanha os preços e não vejo nem uma atitudo ser tomada pelo goerno penso que estão maquiando o Brasil pra os eventos esportivos que vem ai , pois ao mer ver esta tudo cada dia pior . Sera que ate quando vamos ficar vendo as coisas acontecerem e ficar calado sem reação . que bom que temos Jornalista como voce que com sua critica aletar ao povo ,mas pena que muito pouca gente perde alguns minutos pra ler . è lamentaval ver Meu Brasil andando pra tras .