Contador de Visitas

Seguidores

sábado, 15 de outubro de 2011


Pendurando as Chuteiras!
Ricardo Martins

Caro Léo, bom dia querido e estimado amigo! Resolvi dividir este momento com vc, jornalista que admiro e reconheço dentre os melhores textos que um dia tive o privilégio de ler. Resolvi pendurar as chuteiras, por aqui, por Tijucas e região!

Durante sete anos tentei trazer para cá, implantar e implementar, a partir de um ideal, uma mentalidade aberta, independente, vanguardista e principalmente profissional, objetivando desenvolver esta atividade pela qual muitas vezes sacrificamos de tudo, o Jornalismo, o trabalho dedicado ao cidadão através da Imprensa, e apesar de certas atitudes mesquinhas, levianas e covardes, logrei êxito.

Na Rd Clube de São João Batista desenvolvemos um projeto inédito de rádio jornalismo, com cobertura ao vivo de todas as cidades do Vale no popularíssimo “Jornal da Manhã” e nos Esportes o “Sala dos Esportes”, na companhia de profissionais como Caio Callado, Moacir Muniz, Jair Pinheiro, Antero Alexandre e as gratas revelações Jonas Hames, Jabson Alexandre, Carlinhos Trindade, André Adriano, Juliano César, Hércolis Marcos, entre outros, hoje todos profissionais consagrados na região. Daí surgiu o “Jornal “Correio do Vale” hoje Correio Catarinense, o Projeto AN Capital, do jornal a Notícia, que dividi com o repórter Jonas Hames e que nos rendeu inúmeras “capas” e reportagens de página dupla, destacando o Vale e seus municípios, e o queridíssimo Jornal de Tijucas, onde um dia o sempre amigo “seu Walmor” abriu as portas para mim e publicou meus artigos, depois ajudei na Editoria Geral, fui editor em um projeto amplo, “nosso jornal” chegou a ter 32 páginas semanais, e onde principalmente conheci e me tornei admirador de muitas pessoas, jovens profissionais que se revelavam, entre eles hoje conceituados Léo Nunes na época com seu “Clique na Noite”, Edson Melo, o querido DUDU, hoje desbravando o Brasil por Rondônia, diagramador dos bons, as Julianas e tantos outros. Foram momentos únicos, demos trabalho para o seu Walmor, mas tenho certeza colaboramos para que o JT até hoje seja lembrado com saudades. Ali recebi de seu criador e diretor geral uma das mais sublimes e marcantes homenagens, editar junto com a Juliana Telles, sua filha, a última edição do JT e para sempre serei grato por isso.

Naquelas dependências, do ainda JT, ajudei a iniciar o projeto ND de Tijucas e do Vale, da RIC Record de Florianópolis e de SC, enviando matérias para a capital catarinense, depois cuidando de toda produção do material publicitário do 1º número e depois de lançado, sempre a disposição do Seu Walmor, produzi em companhia de muitos companheiros, cadernos prá lá de especiais e tive a honra de viver o momento inesquecível de ser convidado para cobrir as primeiras férias de meu dileto amigo, admirável e considerado colunista, Léo Nunes. Não poderia esquecer que neste ínterim editamos, por iniciativa própria e ajuda de muitos companheiros: o Wagner, Léo, Dudu, entre outros, 06 (seis edições) do Jornal “Só Esporte”, projeto até hoje lembrado e cobrado seu retorno.

Querido amigo, eu tentei, tive oportunidade de ver e estimular o surgimentos de grandes talentos citados acima, espero não ter esquecido de ninguém, também nesta trajetória, trabalhei como consultor empresarial e político, destacaria neste momento, Sérgio “Coisa Querida” Cardoso e o Puera, Alexandre Lamin, para quem tive o prazer de prestar serviços, também como jornalista e marqueteiro, fui assessor de Imprensa da PMT e do atual Prefeito durante 14 meses, atuando sem nenhum recurso, em uma mesa precária e um computador que dividia com o amigo e fotógrafo, o popular Allex, e posteriormente cuidei de grande parte da comunicação da coligação política que tentava levar Roberto Vailatti ao poder municipal em 2008, em companhia de hoje bons  e leais amigos, Helio Gama, João Marini, Tannay, Professor a e vereadora Lialda Lemos, entre outros.

Participei também com muita honra da campanha do bom amigo e atual vice prefeito de Tijucas Luis Rogério da Silva, o popular Rogerinho a deputado federal, em companhia de outros colegas a quem respeito, enfim uma trajetória, não?


A partir de dado momento cabeças medievais e retrógradas, pessoas de má índole e covardes tentaram me tirar do cenário jornalístico de Tijucas e região, fechando sob o efeito do poder financeiro, o pior, dinheiro público, todas as portas que se abriam para mim, rotulando-me como adversário e prestador de serviços da oposição e do PT. Risos! Pobres de espirito! Lamentavelmente conseguiram e desta forma até hoje mantém a Imprensa local, de certa forma, amordaçada e limitada em todos os seus projetos, ainda doméstica e familiar, longe do profissionalismo adequado e pedido nos dias de hoje, exceção parcial e em termos ao ND.

Infelizmente, foram momentos duros de enfrentar, porém assim foi feito e hoje dei novo rumo à minha atividade profissional me concentrado novamente em Floripa e em parte do Brasil, através de meus artigos, meu BLOG e das redes sociais, onde sou muito bem recebido e reconhecido por meu trabalho e modestamente talento e competência.

Por aqui, em Tijucas e região, meu ciclo chega ao fim, talvez esteja junto do amigo e companheiro Helio Gama à frente seu projeto a Prefeitura de Tijucas a fim de de recuperar o município, política e administrativamente. Vamos conversar mais a respeito ainda, porém em nível da Imprensa aberta, as chuteiras estão penduradas!!

Envio esta missiva a você, estendendo-a a seu Walmor, por gratidão, reconhecimento e respeito. Você, caro amigo, é um talento raro, precioso para o Jornalismo de SC e do Brasil, espero que seu horizonte seja cada vez mais longíncuo e profícuo.

Gostaria de agradecer a todos pelas oportunidades, atenção e pela amizade a mim destinada, ao público em geral, ouvintes e leitores, amigos que fiz, podem ter certeza disso, são meus iguais, cidadãos sofredores e injustiçados, covardemente agredidos e roubados, diariamente, neste país lindo, pujante e maravilhoso, por pessoas sem caráter, sem espírito público e desprovidos de decência e valores morais dignos de um Ser humano.

Grato pelo prazer da companhia e por me receberem em sua Terra e por muitos terem nos prestigiado na Papelaria Torre de Papel, onde nós, Edna e eu, durante 03 anos tentamos investir e resistir ao comércio totalmente abandonado desta linda e também abandonada cidade.

DEUS proteja a todos!

 Muito obrigado de coração!

2 comentários:

Ivana Maria disse...

Meu querido, talvez o título apropriado para o texto, pelo que entendi, não deveria ser "Pendurando as chuteiras", mas, "Recolhendo as chuteiras para jogar onde vale a pena". É vergonhoso e lamentável reconhecer que em muitos lugares a democracia e a liberdade de expressão são apenas fachadas que escondem por traz de si perseguição e ditaduras disfarçadas. Sei bem o que é isso, por aqui. Porém tens toda razão quando falas da confiança do reconhecimento do seu trabalho no Blog e nas redes sociais, aqui é um publico seletivo que quando gosta o faz simplesmente por seu próprio interesse e não para atender a jogadas politicas que se vêem por aí a fora. Boa sorte nesse time! Um abraço.

Jane Di Lello disse...

Amigo Ricardo, a net foi realmente a maior invenção do seculo! Passamos a conhecer pessoas nas redes sociais, as admiramos + jamais temos a profundidade de suas vidas e trabalho, quando nos deparamos com um profissional do seu gabarito, onde vem expor como foi difícil conseguir um lugar ao Sol, tudo que passou pra chegar onde chegou, com todo seu conhecimento jovem ainda ter que, pendurar as chuteiras.
Doeu ler isso, pois hoje num pais onde deveríamos ter milhões de profissionais Ricardo Martins atuando, colocando pra fora todo este potencial.
Sublime conhecer seu valor e trabalho!!!
Triste ter que aceitar você pendurar as chuteiras em um Pais onde vivemos uma devastação geral, com corrupção, falsidade ideológica, locupletação, favoritismos, puxassaquismos, falta de ética geral, em fim tudo que vergonhosamente comprovamos dia a dia, sentindo na pele toda esta vergonha.
Doí muito para nós, pessoas honestas que passamos todos os dias de nossas vidas dando o nosso melhor.
Saber que você vai afastar-se desta área, mesmo tendo outra visão, outros parâmetros, + é muito triste ver + um bom profissional saindo de campo.
Feliz e triste! Sem + palavras.
Jane Di Lello.