Contador de Visitas

Seguidores

domingo, 23 de outubro de 2011


Pré Julgamento!
Perigosa precipitação!
Ricardo Martins                                       (Republicação!)

Este é um infeliz hábito de muitas pessoas, e estas, esclarecidas, inteligentes e com boa base de educação e formação cultural. Isso desde sempre e agravado após os últimos 30/40 anos por conta do “BOOM” social e acesso a $$ e posição de relativo destaque na sociedade, a partir daí a evolução da classe média, este péssimo hábito se agravou, de pré julgar alguém, partindo do ouvir dizer ou pior, de uma avaliação precipitada onde as aparências provocam enganos certamente, às vezes são apenas pequenos exageros de tratamento e logo considerados como possível desvio de caráter.

Na verdade vivemos a época da inversão de valores e da busca incessante da sinceridade e da atenção, sentimentos e atitudes raras nos dias de hoje, e o pior é quando isso aparece naturalmente como característica de alguém, vem o pré julgamento: “VEJA COM QUE INTENÇÃO ESTE CARA É ASSIM OU ASSADO” ou cuidado com ela, pode estar interessada em algo ou alguma coisa. E não, ledo engano, apenas são pessoas de atitudes objetivas, simples, claras e sinceras, algo realmente fora de moda, exceção a regra, porém real como traço de caráter e personalidade de muitos. Pronto, falou e agiu de forma precipitada uma boa amizade acabou se perdendo ali, no nascedouro, apenas por precipitação e pré julgamento. Assim se vão ou se perdem também boas e potenciais relações profissionais, ou até mesmo aquelas que poderiam desaguar em grandes momentos de felicidade e prazer entre duas pessoas.

Criticar o outro é muito fácil, agora a auto crítica e auto reflexão cada vez mais difícil, ninguém, via de regra, exercita isso, é menos pesado comentar sobre o outro, seus possíveis defeitos e desvios de caráter, e pior: quando pouco, muito pouco mesmo se conhece sobre as pessoas.

Complicado, observem: Se você é gentil e educado, expressa sinceramente o que sente, pode ser rotulado de galanteador vazio, aventureiro e até mesmo “galinha”, em se tratando de um homem. No caso de uma mulher, interesseira, vulgar, permissiva e fútil. 


Se você ainda não conhece bem a pessoa a quem se refere além do precipitado comentário é um ato de injustiça social e pessoal. Na real? Uma indignidade!


O Ser humano é mesmo complicado, o mais simples é quase sempre dispensável e o mais grave, quando surge alguém que dispensa ao outro atenção, educação, gentileza, respeito e sinceridade, cuidado! “É pura maquiagem” dizem os críticos ferozes e os “politicamente corretos”, aqueles que se julgam acima do bem e do mal, “os soberbos”, perfeitos e inatingíveis.

Este artigo é uma proposta à reflexão sadia, onde principalmente é importante avaliar bem, conhecer bem, trocar o máximo de impressões e informações sobre o outro até mesmo sobre uma noticia ou fato, antes de emitir qualquer juízo de valor a respeito. Na real somos todos imperfeitos e falíveis, isso é fato corriqueiro, mas a personalidade e o caráter de alguém não podem ser julgados de forma precipitada nem afoitamente.
E o fiel da balança a meu ver é: Não faça com o outro aquilo que você detestaria que fizessem com você! Queres respeito? Respeite! Queres atenção? Dê atenção! Queres ser considerado? Considere!

Enfim, não se precipite em pré julgar ou julgar alguém ou um fato, antes de ter absoluta certeza de ter material suficiente e informações para tal atitude e mesmo assim, recomendo muito cuidado, você poderá inclusive perder um grande amigo ou um ótimo companheiro de trabalho e mais ainda, um grande amor.


Além disso a precipitação é inimiga do bom senso que deve prevalecer sempre! Ah! E se vc errar em sua avaliação tenha humildade e hombridade para reconhecer e se desculpar!

3 comentários:

to-deolho disse...

CARO RICARDO

ESTAMOS AQUI ERRANDO PARA APRENDER A ACERTAR!!!!
QUANDO DEIXAMOS DE LADO NOSSOS DEMÔNIOS INTERNOS PARA APONTAR O DOS OUTROS SIGNIFICA A FUGA DE NOSSA IMAGEM REFLETIDA NO ESPELHO QUE MOSTRA CLARAMENTE NOSSA ESSÊNCIA, COM OS RANÇOS, AS DERROTAS, AS INSEGURANÇAS E QUANTO SOMOS VULNERÁVEIS A ELAS QUANDO PRÉ JULGAMOS OUTREM!!!!

Marisa Cruz

Ivana Maria disse...

Compreendo o que falas e concordo contigo. O "pré-julgamento",ou o preconceito, são formas de condenar pessoas e coisas sem dar-lhes a chance de defender-se ou, pelo menos, de mostrar quem ou o que realmente são.
Isso que vc falou sobre “VEJA COM QUE INTENÇÃO ESTE CARA É ASSIM OU ASSADO”, me fez lembrar um fato ocorrido comigo no trabalho, quando uma amiga me elogiava pela atitude humana com que trato as pessoas, tentando compreender os problemas delas, justificando as suas ausências no trabalho, outra colega de trabalho declarou que eu fazia isso porque usufruia em beneficio próprio. Comportamentos como esse me deixam profundamente entristecida. É preciso grande esforço para compreender a limitação daquele que nos fere e contribuir para que ele evolua. Eu tento. Nem sempre consigo, mas tento. Um abraço, meu querido!

AMOLULA disse...

CRETINO!QUE DEUS LHE DE UM CANCER EM DOBRO!DE PREFERENCIA NO CEREBRO!