Contador de Visitas

Seguidores

sexta-feira, 8 de abril de 2011


Uma tragédia sem precedentes!
Infelizmente e lamentavelmente esperada!
Ricardo Martins
Por quê? Pensas assim depois do acontecido, no Rio de Janeiro! Não! Pior que não, de verdade. Já tivemos algumas situações parecidas, aquela do cara no cinema, em 1999 em São Paulo, além de inúmeros exemplos amplamente divulgados pela chamada mídia ocorridos nos EUA e em outros países, onde o radicalismo, o desequilíbrio e o exacerbado envolvimento com religiões extremadas acabam influenciando transloucados e psicopatas a cometer este tipo de crime. Além de outras tragédias de vertentes diferentes, enchentes, enfim!

O Brasil, independente da impunidade, do estado de ampla corrupção e da desmoralização e degradação dos 03 poderes da República, é um produtor de violência gratuita e cotidiana, do tipo bullyng, homofobia,  racismo,  entre outros tipos de agressão e preconceito e isso deve ser enfrentado, sem máscaras nem hipocrisia.

Existe ainda outros focos de violência ou que a propiciam, um altíssimo consumo de drogas de todos os tipos, em todas as classes sociais, torcidas organizadas infestadas por vagabundos, gangues da meia-noite e outras, de toda espécie violentas, covardes e cruéis, acesso fácil às armas e ao treinamento com elas, que são compradas, via de regra, direto da fonte, da própria polícia, forças armadas ou de dentro do judiciário. Tudo isso certamente contribui para esta onde de violência banal e diária com que estamos sendo obrigados a conviver.

Jamais se matou tanto por nada neste país como nos últimos 10 anos, ou pior, nos últimos 05 anos. Crianças, mulheres e velhos agredidos e mortos dentro de casa por parentes ou pessoas próximas, ex- namorados, maridos ou ex - companheiros, que não aceitam a separação, ou ver a ex nos braços de outro. Como corrigir isso?

A meu ver, são 03 os fatores que mais contribuem para este estado de coisas: A impunidade, e aí se inclui o excesso de benefícios e privilégios concedidos pela Lei Penal e aplicados sem critério por magistrados omissos,  o desinteresse e a má gestão pública e por último, o excesso de sensacionalismo e estímulo aos casos polêmicos promovidos pela chamada grande mídia.

Atendo-nos a esta tragédia do Rio de Janeiro, conclui-se, do mesmo modo, de forma concreta, que os colégios não têm gente especializada cuidando da disciplina e da segurança dos alunos, quer sejam particulares ou públicos, portões abertos a qualquer um, alunos gazeteando aula próximo dos muros das escolas, entrada fácil de drogas e armas nos estabelecimentos de ensino, enfim, tudo muito a vontade.
A liberalidade excessiva e a falta de interesse da direção das escolas pesam e muito neste estado de coisas e nessas situações indesejáveis e violentas. Coibir isso é obrigação do Estado nas escolas públicas, nas particulares, não!

É ainda obrigação do Estado manter a segurança pública como um todo, protegendo o cidadão, a vítima e seus familiares e não o bandido, o criminoso, o infrator.

Também é obrigação do Estado manter um Código Penal e um sistema prisional condigno com a modernidade e de acordo com o requisitado pelos dias de hoje, humanitário, porém rigoroso e por fim é obrigação do Estado dar exemplos de decência e dignidade, manter um serviço público em favor do povo e resolver definitivamente suas carências e necessidades.

È indispensável ações efetivas e urgentes a fim de se acabar com isso, seja por parte das instituições públicas ou privadas, corrigindo e colocando ordem nas coisas.

Agora, enquanto prevalecer o descaso e o desinteresse público e além disso, grande parte da sociedade organizada e esclarecida usufruir de algum benefício destas situações, nada se resolverá e a tendência é piorar dia a dia e o povo cada vez mais ficar exposto e refém da violência banal e de agressões criminosas generalizadas.

5 comentários:

Marco Sobreira disse...

Degradação da familia, corrupção em todos os níveis, impunidade, ingredientes para fazer o caldeirão explodir. Até quando vamos aceitar tantos desatinos? Quanto à tragédia de Realengo a minha opinião está no artigo "A TRAGÉDIA DE REALENGO, O SISTEMA FALHOU" publicado no blog hoje. Parabéns pela sua luta em denunciar os desmandos nesse país amigo.

Barcarena em foco disse...

GOVERNO E SOCIEDADE NÃO DETECTA, NÃO CUIDA, NÃO TRATA SEUS DOENTES COMO DEVERIAM. A ENERGIA SEGUE O CURSO DO PENSAMENTO (+ OU -)
AS CARACTERÍSTICAS DO FANATISMO SÃO:
1. Agressividade;
2. Preconceitos vários;
3. Estreiteza mental;
4. Extrema credulidade quanto ao próprio sistema, com incredulidade total quanto a sistemas contrários;
5. Ódio;
6. Sistema subjetivo de valores;
7. Intenso individualismo;
8. Demóra excessivamente prolongada em determinada situação/circunstância.

Barcarena em foco disse...

O bulling sem reação pode alimentar as mentes doentias por rejeições e brincadeiras sem graça. Ele deveria ser doente por heriditariedade e! ninguém se preocupou de curá-lo ou monitorá-lo!
Esta mesma sociedade, governantes e autoridades deverão observar mais os introvertidos. Mas para isto teremos que rever a educação que nós pais estamos transmitindo para os filhos. Mas, não se pode dar o que não se tem... Estamos à mercê da nossa qualidade da educação, amor, saúde e sabedoria em especial!
Eu, ensino os meus filhos a respeitarem a todos os vivos e esperar a verdade dos mortos!
Acolherem os mais indesejáveis na turma oferecerem apoio aos mais sensíveis e caladinhos!

to-deolho disse...

Caro Ricardo

Além de tudo que você colocou, os comentários completaram.
PENSO TAMBEM QUE O INDIVIDUALISMO, O EGOÍSMO E A GANÂNCIA NO MUNDO TORNOU O SER HUMANO UMA MÁQUINA TRESLOUCADA ABANDONANDO TODOS OS VALORES REAIS E VERDADEIROS.

Abraços
Marisa Cruz

Professor Adilson Neves disse...

De algum modo, ainda que nao possamos culpar, os casos nos Estados Unidos e outros países influenciaram a atitude do psicopata. A nossa sociedade está doente e os sinais sao muito evidentes. Um caso recente: o motorista que investe de carro sobre os ciclistas no Sul, dentre inúmeros outros exemplos.