Contador de Visitas

Seguidores

domingo, 10 de abril de 2011


Ei! Pessoas, é por Aqui!

Ricardo Martins

Resolvi reeditar este texto, por considerar oportuno e pertinente. Cada dia fica mais difícil encontrar as coisas comuns e simples de outrora, alguns sinais, pelo menos, de respeito, educação, companheirismo, compartilhamento, amizade, sinceridade, caráter, decência, amor ao próximo, o amor de verdade entre as pessoas.

Que terá acontecido? Onde anda a essência?  As pessoas mudaram ou mudou o Mundo? Pergunto-me freqüentemente.

Sem querer exagerar, isso é assombroso e real, chega a ser assustador. Individualidade, egoísmo, egocentrismo, esperteza exagerada é o que mais se vê, nos últimos 30/40 anos. No Brasil então!

Certamente as pessoas mudaram e mudou o Mundo, ambos, infelizmente e a meu ver, para pior. Isso ocorreu entre todos independente de camada social, etnia, religião, partido político e como conseqüência arrastou outros sentimentos, atitudes e posturas, indispensáveis à Vida, enxurrada abaixo.

Observem! “Ontem” o prazer mesmo mercantilizado, vendido, existia, era uma excitação natural, espontânea, vigorosa, onipresente e onipotente, a imaginação fluía de forma mágica a fantasiar momentos, caricias e abraços. Nestes tempos de hoje, após uma explicitude banalizada, o prazer se tornou artificial, mecanizado e enlatado. Sem viço! Embaçado!

Na realidade o artificial tornou-se “ordem do dia”, inclusive no quesito “beleza”. O natural, que é a expressão mais definitiva do belo, perdeu espaço para as agulhas e bisturis.

“Fabricam” agora mulheres “plastificadas ou emborrachadas”, que quando passam, caminhando, até causam maravilhosa sensação, mas quando se pega ou toca é profunda a decepção. Nada contra quem se cuida ou quem se preserva! Isso é outra coisa. Tem uma agora que quer colocar o 3o. seio. pode?

Que pena! Nem mulheres naturalmente bonitas se fazem como antigamente. Na real, um triste exemplo de que tudo mudou.

Por tudo e por todo o canto, o natural, espontâneo e o artesanal cedeu lugar à industrialização, a mecanização ou ao artificial. Como obter ou manter qualidade, em produtos e serviços, se quem está por trás disso, quem produz ou administra, são pessoas desprovidas de valores e sentimentos voltados ao coletivo. Sem qualidade de caráter, de formação, de conceitos morais é éticos.

Qualidade de vida é viver em paz, junto a Natureza? É verdade, mas é muito mais que isso: é ter amigos sinceros, alimentação saudável e conviver com atitudes, em geral, decentes e éticas, obter facilidades decentes e não juntar problemas ou complicações.

Viver bem é contribuir para ver as pessoas alegres e felizes, cheias de prazer por tudo, principalmente pelo outro e pela Vida. Compartilhando, convivendo, proporcionado e interagindo entres  e com todos.

6 comentários:

Maria Amora disse...

Meu caro Ricardo, que tema oportuno.
Felizmente não foi o mundo todo que mudou.
País de terceiro mundo que somos, jovens e sem tradições familiares que dá estrutura a pessoa.
Vivemos uma época de pouco cultivo dos valores essenciais do ser humano. Lembra quando o psicologismo entrou nos lares deixando pais e mães sem rumo, que buscaram fazer diferente de seus pais e não reprimir, não educar seus filhos. Tudo era permitido em nome de uma falsa psicologia leiga. Os pais perderam sua função educativa e entregaram preguiçosamentea a tarefa às escolas que por sua vez, não tinham nem a obrigação nem profissionais treinados para tanto.

Ando horrorizada com uma sra que se diz psicanalista e especializada em sexualidade.
Esta sra, cheia de autoridade, tuita coisas do tipo:
"O amor romantico é coisa do passado. Hoje, os casais não devem compromisso de fidelidade."
"Hoje está cada vez mais normal e aceitável um homem ser casado ter relaçoes homosexuais fora do casamento"
"Muitos casais incluem uma terceira pessoa em suas relações para apimentar a visa sexual"
E por aí vai. Seus seguidores são pessoas de 20 a 30 anos e ficam profundamente afetados com essa nova e quase obrigatória ordem. Tudo pode em nome do prazer.
A família para esses, dançou.

Acredito que muitos como eu, só se orgulham de seus filhos. E também acredito que eles também poderão se orgulhar dos seus filhos.

Marco Sobreira disse...

Olhe amigo, sinais dos tempos, tudo o que eu queria dizer, foi dito pela amiga @MariaAmora, assino em baixo, também acho que esta senhora que se diz psicanalista e badalada por muitos, reflete muito bem em seus posts a libertinagem dos tempos atuais. Há muito perdemos o sentido da familia e da amizade sincera. Parabéns.

nadiavida disse...

Mundo mudou, pessoas mudaram seus pensamentos e atitudes.... Acho que grande culpa é da televisão... Vejos algumas novelas incentivando namoros entre crianças e elas começam a achar natural...

Sei que a @MariaAmora e o dr. @Marcosobreira não gostam da escritora @Reginavarro mas eu li todos os livros dela e não defendendo, ela relata a realidade atual. Em frente à minha casa tem um prédio onde um senhor casado, tem filhos entre 8 e 13 anos, mantém um garoto... Isto tá acontecendo demais....

Mas voltemos ao texto... Hoje não podemos mais sentar na calçada com amigos, ladrão chega e põe todo mundo pra dentro e faz o estrago. Não sei realmente. Ensinamos nossos filhos, os educamos e damos amor, atenção, e tudo o que ele precisa. cada um é de um jeito. E as drogas???? Meu Deus, tira-nos o sossego e a vida.

Acho que tudo colabora de maneira negativa. "Só sei que nada sei". Sabe, sou a favor de palmadas, (não espancamento, claro), menores trabalharem e contra o tal "Estatuto da Criança e do Adolescente", acho que muita coisa piorou depois dele...

Hoje não estou num dos melhores dias, desculpe a confusão de pensamentos e palavras. Queria mesmo é pegar meu filho e deixar um mês trancado no quarto, de castigo.... rsss

Maria Amora disse...

Minha querida Nádia,
Não tenho nada contra essa sra vender seus livros e até acho agumas coisas que ela diz legais.
O que me incomoda no caso são os tuites com trechos pinçados do seu livro. Aí a coisa fica sem nexo. Livro tem pra todo gosto e compra quem quer. O tuite é público. Uma pessoa que se diz tão graduada deveria medir palavras quando fala ao grande público. Um psicanalista jamais aconselha ou difunde uma crença pessoal.
Um psicanalista não quer influenciar as pessoas, ao contrário, deve ajuda-las a descobrir-se pois somos únicos dentro de nossas singularidades.
E chega dela.

Fabiana Ratis disse...

Caro Ricardo,
As mudanças que você retratou são sentidas no recinto do meu lar também. Mas, por que o mundo e, consequentemente, valores primordias mudaram,eu não mudei, na minha essência. Tenho personalidade e persisto no que me foi ensinado. Quero olhar mais tarde para trás e ver os rastros da coerência. "Mude as suas opiniões. Não mude os seus princípios. Mudem suas folhas. Não mudem suas raízes". Vigtor Hugo

coisasdadea disse...

Isso é muito doido mesmo, infelizmente
Temho uma amiga de muitos anos que tinha seios enormes na juventude ( ela achava). Na primeira oportunidade fez uma plástica e diminuiu o tamanho.
Ha uns 3 anos atrs colocou silicone, para aumentar o que tinha diminuído... Enfim, loucura descabida!
Como eu brinco com mi hás amigas, nao sou nenhum Luiza Brunet mas, com 45 anos e peças origiais , me cuidando muito com exercício físico e alimentacao, ainda arranco muitos suspiros!
Bj
Dea Pacheco