Contador de Visitas

Seguidores

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011


Reforma Moral é a prioridade!
Ricardo Martins

Há muitos anos o Brasil necessita de Reformas Institucionais e pontuais indispensáveis ao seu bom e justo desenvolvimento, porém antes de qualquer outra ação nessa direção há que se realizar uma “Reforma Moral”, reformar o caráter, o conceito ético e imprimir um real e digno interesse coletivo em toda a classe política, principalmente nos legisladores responsáveis pela aplicação e adequação destes ajustes que devem ser realizados com profundidade, de forma ampla e nos mínimos detalhes, pois são várias questões fundamentais para o futuro do país e de seu Povo.

Dentre as inúmeras reformas, prioritáriamente entendo que a do Judiciário seja a mais premente, pois além de rotinas e sistemas deve-se alterar e adequar as Leis Penais em geral, incluindo mais rigor e eliminando privilégios, imunidades, benefícios e até recursos e instancias. Outro aspecto a ser revisto, a meu ver, é o Sistema Penal, incluindo, neste momento, a Prisão Perpétua para os crimes cruéis e hediondos, para os criminosos contumazes e crimes cometidos contra o erário e patrimônio público.

Já no caso da reforma política considero que é algo muito sério para ficar apenas nas mãos dos políticos, as demais instituições nacionais, sérias e responsáveis, deveriam, junto com a sociedade interessada, participar ativamente desta reforma que a meu ver passa pela desobrigação do voto, pela extinção da eleição proporcional e desta “bizarra” normativa para suplentes no Senado, do financiamento público de campanha, da qualificação do candidato de acordo com o cargo postulado, pela ficha limpa, pelo fim de coligações, rever o número de parlamentares e seus ”ganhos”, honorários e outros, desde o município até a esfera federal, enfim, e outras situações hoje inadequadas a eleições decentes.

Outras reformas, como a Tributária, talvez dentro desta readequar a posição intocável dos Bancos e instituições financeiras, e outras tanto o quanto significativas como a que denomino do “Sistema Prisional” que merece tratamento individualizado, se possível for, dentro da Reforma do Judiciário.

Enfim, o Brasil há muitos anos poderia ter realizado estas adequações apenas a partir de um plano de prioridades, planejamento e gestão, evidentemente suportado por vontade de fazer, de realizar, pois o que tem acontecido freqüentemente é o “empurrar com a barriga”, o “deixar prá depois”, ou o “isso pode esperar”.

Por tudo isso é de vital importância o engajamento de todos os cidadãos interessados no bem estar do país e de seus irmãos brasileiros. Participando ativamente destes movimentos ou, no mínimo, cobrando soluções  justas a respeito.

7 comentários:

nadiavida disse...

Concordo contigo.... Reforma já! Em todos os poderes, em tudo. País precisa ser revirado do avesso e lavado..... Mas.... sabemos que isto nunca acontecerá de fato.... Lamentavelmente não....

Ótimo texto.... Abraços

Professor Adilson Neves disse...

Concordo! O Brasil precisa com urgência de uma reforma que contenha ética, moralidade e vergonha na cara. Acho que o melhor caminho seria uma reengenharia total no Congresso Nacional para começar.

Ester Eloisa disse...

Concordo, mas como pensar em reforma moral, política ou do judici[ario, quando o nosso congresso está violando a Constiuição e sendo presidido por Sarney? Com um governo do PT aliado a Renan, Collor, Erenice, Zé Dirceu, Romero Jucá et caterva?
Fica difícil.

Selma disse...

Existem casos em que nem mesmo uma reforma consegue dar jeito.
Se mandássemos 95% de nossos políticos para uma "oficina especializada em reforma moral", depois de uma análise criteriosa de um perito, receberíamos a seguinte conclusão: Caso perdido! Nada mais há que se fazer. A solução é trocar por novos!

Fernando Tolentino disse...

Ricardo estou totalmente de acordo!!! O Brasil é um país extremamente rico, o que realmente precisa mudar é eticamente as politicas impostas, pois assim maximizaremos o nosso todo potencial!!!

Tuca disse...

Ricardo, tenho meditado o quanto esse país foi assolado por maus exemplos, nesses últimos 8 anos. Sei que precisamos de uma sacudida forte nos 3 Poderes que, há muito, estão deixando muito a desejar. Mas, no tocante ao tema, foco minha atenção só na família. Todo choque ético que carece o mundo é porque a família afroxou seus parâmetros, nivelando-os por baixo. Não se vê mais o interesse único dos pais para os filhos e o reverso da obediência do filhos aos pais. A indiferença e, os outros chamamentos do mundo, destroem o que é mais lindo na Educação, a comunhão familiar. Essa, sim, está precisando de um choque radical.

Consciência Política disse...

Olá Ricardo,

Gostei do seu texto, ele mostra realmente algo que muitos brasileiros anseiam à décadas.

Esta questão é quase impossível de se entender! Me diga, como que até agora nenhum governo tentou ser realmente Reformista? As reformas podem ter um impacto tão benéfico ao país e não custam muito se comparado a outras medidas igualmente benéficas.

Há muitos interesses para não se fazer Reformas, principalmente no Judiciário e Tributário, é só pensar quem elas beneficiam. O Brasil é conhecido como país da impunidade por quê?

Ainda espero por um governo que faça todas as reformas necessárias: Tributária, judiciária, penal, política, agrária, midiática, previdenciária, etc.

Estamos juntos nesta luta por um País mais justo e melhor para se viver!