Contador de Visitas

Seguidores

sexta-feira, 9 de maio de 2014



O TEMPO ou A VIDA? AMBOS? REFLITA!

Ricardo Martins

Pensando na Vida! Refletindo o Tempo! Seu caminhar forte e inexorável, imperativo, ao mesmo tempo em que proporciona, toma de volta, pelo próprio tempo. Ao se abrir os olhos a cada momento constata-se que um cometa em forma de tempo passou e como se tudo fosse ontem, já se faz hoje e amanhã, a manhã! Tempo que se perde na esteira do próprio tempo, que se esvai a cada momento perdido, que se perde na estrada, no caminho, nas trilhas do Tempo.

Recuperar? Jamais! Viver de novo, possível, mas em outro tempo e momento. Cada segundo que se vai é irrecuperável e ponto! Considerado como vivido, consumido, aproveitado ou perdido! Isso assusta! Inquieta! Mexe forte com a emoção. Já é tempo de refletir o Tempo ou de esquecer o Tempo e viver sem tempo! Livre, solto, voando nas asas do tempo que passou, mas que deixou as lembranças, os momentos, as histórias  vividas, aproveitadas ou não, isso o Tempo não pode levar, a saudade, boa ou triste, a ausência sentida, o sorriso aberto, o amor vivido, a amizade especial e sincera, a carícia, o afago, o frescor, a lágrima caída, a suave brisa, as ondas do mar, os caminhos percorridos, o suor, as forças exauridas, as vitórias, as realizações, o calor do sol, as estrelas e a magnífica lua!

Aí a Vida vence o Tempo, a Vida preserva, alimenta, faz sentir de novo, novamente e compensa a velocidade fria e urgente imposta pelo Tempo, nos dá a memória,  o conforto, mesmo que faça o sentir forte e a lembrança entristecer por conta do que se faz passado, todavia presente em doces, deliciosas e aquecidas recordações!

Belas, marcantes, singulares e únicas, cada uma, assim como as pessoas que protagonizaram ou coadjuvaram estes momentos especialíssimos, lembrados, sentidos e refletidos. Um passado que se faz presente, no futuro de nossos dias ainda por aqui, e nos tráz os bons e agradáveis e inesquecíveis fantasmas de nossas vidas.

Isso o Tempo e nada pode destruir, nem levar de arrasto, não pode, enfim. Isso conforta, em tempos!

Certamente isso exalta o tempo que se foi, aquece o tempo que se faz, e inspira o tempo a vir! Isso é tempo de pensamento, refletir e projetar a Vida!

Bem! Contra o Tempo nada a fazer a não ser vencê-lo vivendo cada instante, a cada passo, mesmo dentro do coração, da mente, a cada lágrima de saudade, a cada sorriso lembrado e repetido, não importa.

O Tempo nos incomoda com sua velocidade, que nos impõe não perder tempo? Nós o driblamos vivendo e sorrindo a cada tempo existido e jamais esquecido!

E que tudo isso valha a pena, a tempo! Pelo mesmo enquanto o tempo for aqui, neste tempo!


5 comentários:

Eli Oliver disse...

Parabens otimo texto!

Eli Oliver disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rinaldo Barros disse...

Boa reflexao. Vou compartilhar.

Cielly Oliveira disse...

Gostei muito. A vida já que nela só nos resta esperar e fazê lá cada dia melhor com a ajuda desse tempo, q temos a cada amanhecer.

Valquiria Mauro disse...

A VIDA é um dom reservado a tudo o que existe no universo, dividida em parcelas imemoriais e diversificadas, no tocante ao tempo de duração Dela.
O TEMP0 é um termômetro que mede o grau e duração de algo, nada modificando, apenas, medindo a sua extensão e durabilidade.
Medir a Vida pelo seu tempo de duração seria como fazer desenhos nos mares e oceanos ou... Contar os segundos dos milênios! Dado a sua diversidade e envoltório do que trás consigo, ficando, apenas, definindo o período de sua duração, ás vezes, efêmera ou, estipulando, minuciosamente, o que a Vida trás em si de benefício ou,... Malefício!
Ou seja: Quanto tempo se vive não é o importante, o que importa é... Como se vive!
Viver é uma arte de aprendizado constante, sem a somatória de momentos seqüentes, ficando o Tempo apenas como um mero expectador silente e contábil da sua trajetória pelos meandros da sua duração.
Se o foco da Vida for um ser humano, Ele deverá Viver e... Deixar Viver! Sem modificar ou, alterar o “modus vivendi” de quem não quiser seguir a sua cátedra, percorrendo, assim, os caminhos por ele delineados, sem imposições ao outrem discordante Dele! A ressalva é apenas a de procurar dar o Bom exemplo para a reabilitação voluntária de quem esteja vivendo, erroneamente, pelas vicinais ao lado da sua auto-estrada benéfica e, mesmo assim, sem se importar com o Tempo, pois, Ele só estará disponível para medir o seu trajeto, sem influenciar, também, aos outros seguidores com promessas vãs.
Se o Tempo tivesse o valor decisivo para a Vida, Ele não precisaria da experiência e do saber didático ou empírico, com isso e, por isso, atuaria até nas crianças de colo, às influenciando no percurso! Não fora isso, como os mais velhos se projetariam na escalada da vida tendo por base e auxílio do Tempo aos recém nascidos?
No meu modesto entender, o Tempo só me deu gabarito quando, o acumulando na cumeeira do meu cérebro, passei a catalogar o que aprendi com Ele, adquirindo uma maturidade consciente e praticável para sobreviver na massa humana dos meus irmãos lúcidos e, as vezes, inconseqüentes.
Amando a Vida! Não tenho medo da morte! Por Ela ser, apenas, o posfácio da minha existência e passaporte para o meu encontro com Deus! Porém, nesse caso, valorizo o Tempo! Esperando que Ele me dê mais algumas décadas de vida!

by Sebastião Antônio Baracho.
Assino em baixo.