Contador de Visitas

Seguidores

domingo, 6 de abril de 2014




A EDUCAÇÃO É FUNDAMENTAL!!!

Contudo, o rigor e a severidade da LEI são indispensáveis para punir, a quem merece, exemplarmente!

Sem duvida educar bem aos jovens em geral é preparar bem para o dia a dia e para o futuro, porém disciplina, responsabilidade, respeito ao próximo e senso de justiça são itens de formação imperativos a fim de manter o jovem voltado a defender e a praticar o bem! Os bons exemplos são os que devem seguidos e isso, convenhamos, não é o que o jovem brasileiro em geral vem encontrando, nos últimos anos, nem em casa, nem na escola, nem no cenário politico e na atividade do serviço e na gestão publica.

Lamentavelmente o jovem, desde criança, nas ultimas décadas, tem presenciado, dentro de casa e por todos os cantos do país e do planeta, um mundo caótico, abandonado, e movido pelo interesse do poder e o dinheiro a qualquer preço, sem limites, pudores e egoísta acima de tudo, infestado pela corrupção e o desmando, onde o outro é um “nada”, e, portanto não deve ser respeitado nem considerado, apenas pode e deve ser eliminado de forma banal, bárbara e cruel e no Brasil, impunemente!

Quase sempre, a criança brasileira foi mal cuidada, dentro e fora de casa, fato que se agravou a meu ver, no mínimo, nas ultimas 03 gerações, quando a mulher preferiu optar por si, por sua vida e sua carreira ao invés de ser mãe, sobretudo! Nada contra, foi uma escolha, sua decisão, e como tudo tem um preço, daí surgiram os filhos da Vó, da empregada e das creches.

Para todos os educadores sempre foi bem claro e vital o papel da mãe na educação dos filhos, sua importância relevante no acompanhamento diário e frequente destes, sua evolução e crescimento, cabendo ao pai o papel de “comando”, liderança, de receber as reclamações, enfim, e isso sempre ou quase sempre, deu certo, e nos ditos, tempos modernos, haveria necessidade de se achar um equilíbrio nisso, quem sabe, no entanto com a mulher a se dedicar 10/12 horas fora de casa queiram ou não admitir, reflete em muito na formação e educação das crianças. E isso é fato desde as classes sociais mais simples e igualmente nas demais. Quanto mais humildes e pobres são mais filhos, já que o planejamento familiar aqui no Brasil foi repudiado e marcado como algo negativo, e ai entra o papel forte e negativo da Igreja Católica retrograda, enfim.

Não é necessário, nem é este o objetivo, apontar culpados, porém é necessário refletir isentamente. O “acesso desenfreado” aos bens materiais, da classe media também contribuiu e muito para o desequilíbrio familiar, pois a busca pela ostentação e o status prejudicou a formação de seus filhos, Basta ver quantas famílias foram destroçadas por alcoolismo precoce, acidentes de carro, pois os pais nos fins de semana cediam seus carros para seus filhos menores de idade e a proliferação de mães solteiras, caso de minha filha mais velha, a quem amo e muito, e a minha neta, isso de 35 anos para cá.

Repito isso é real! Nada de caça as bruxas, pois todos sabem que a educação base é em casa que acontece, a escola complementa e formação de forma geral. E ai a coisa se complicou totalmente, pois as escolas por sua vez, a cada ano tornavam-se mais despreparadas para sua digna e exigida missão.

Abandonadas por governos e gestores, escolas e professores tiveram queda de rendimento em sua atividade de educar, preparar e desenvolver pessoas integras e do bem, e nestas décadas nos deparamos também com aqueles que defendiam a “modernidade” no ensino, onde a disciplina, o conhecimento e o saber não eram assim tão importantes, se seus alunos passarem de ano tudo bem! Médias, conceitos, métodos e sistemas foram extintos e ou substituídos por outros “mais leves e brandos” segundo estes “arautos da modernidade”, devia-se e deve-se educar naturalmente, sem rigor, nível de exigências, severidade e disciplina, e grande parte dos pais também passaram a pensar assim, a meu ver, o que levou a ruína a boa educação escolar no Brasil, além do desequilíbrio na base educacional de casa, do seio familiar. Soma-se isso a chamada “ modernidade da família”.

E deu no que deu criminalidade avassaladora, ano a ano, mês a mês, dia a dia e infiltração permanente das drogas, resultado? Famílias despedaçadas e menores criminosos em abundancia, e grande parte com inúmeras passagens pela Policia, por todos os cantos do país> Verdadeiros e completos marginais.

E a partir daí, políticos irresponsáveis e corruptos, desinteressados e apenas a fim de se justificar junto à opinião pública iniciaram uma discussão, que para mim sempre foi discutir “o sexo dos anjos”, sobre a diminuição da idade penal no Brasil e isso já leva quarenta anos.

Ora bolas! Evidente, uma vez mais o foco está, sob minha concepção, errado, pois o meliante infrator, independente da idade que tem, deve pagar exemplarmente por seus delitos e fim, ponto final, tenha ele 13 ou 50 anos. Óbvio que para isso deve existir medidas e ações distintas, para aqueles infratores contumazes e irrecuperáveis “Cadeia, digna e moderna”, porém sem benefícios e privilégios, e sim trabalho, enquanto preso, além da implantação de centros, também, modernos, dignos e eficientes, para recuperar aqueles que “querem e desejam se recuperar”, além disso, excelentes escolas, preparadas e com equipes docentes competentes e interessadas em ensinar e realmente transferir conhecimentos aos seus alunos de forma correta, simples e direta, respeitando, recomendando e exigindo disciplina respeito de todos os envolvidos. Ao bom e interessado aluno tudo! Ao moleque o rigor da disciplina. E em casa, dever-se-ia, entendo eu, buscar o equilíbrio entre os anseios e desejos genéricos, de mãe e pai, pessoal e profissional, revessando-se, entre eles, nas tarefas necessárias exigidas pela família em seu dia a dia, pois não pode um dizer sim e o outro não!.

Na real, eu pelo menos penso assim, tudo é muito simples e racional de se fazer, enfim de viver, basta que as pessoas estejam a fim de viver em paz, em harmonia, todos em conjunto, e se empenharem efetivamente em fazer acontecer o necessário para isso, há momentos de rigor e disciplina, de prazer e de realização, entretanto cada coisa em seu lugar e no momento certo.

Educar é hiper necessário, imperioso e fundamental, contudo cada momento é um momento, a que se exigir atenção, dedicação e interesse em todos os envolvidos, ser objetivo e direto, gratificar e reconhecer quando tudo corre bem e punir de forma exemplar quando existirem deslizes e ou indisciplina, hostilidade, agressões e assemelhados.

Nós todos sabemos que esta Vida maravilhosa nos apresenta, no mínimo dois lados, e opções e escolhas, desejos e prazeres, enfim, mas igualmente compromissos, obrigações e responsabilidades. Há hora certa pra tudo!

Não está aqui um explicito da verdade, mas a meu ver do real, sim, certamente! São décadas vividas e sentidas na pele, observando aqui e ali e sem pretensão assim avalio quem discordar, respeito, sugiro apenas uma reflexão isenta e natural.

Infelizmente, o rigor da LEI é muitas vezes é imperioso!




2 comentários:

VeraProfessora disse...

Excelente texto, meu amigo! Considerações bastante lógicas e reais, infelizmente! PARABÉNS, pelo texto.

JacqueMarlowa disse...



Perfeito, infelizmente.....
Na verdade precisamos rever mesmos os conceitos familiares.....as crianças estão largadas....sem referência.

Excelente texto.

Abraços