Contador de Visitas

Seguidores

domingo, 4 de setembro de 2011


Por que as coisas perdem o encanto?
Ricardo Martins

Por que será? Observe um lindo jardim recém construído e montado, as pessoas passam por ele a admirá-lo, lindo, colorido, equilibrado, variado, intenso, mágico e os jardineiros à sua volta cuidando dos detalhes de sua manutenção, preservação  do seu desgaste natural, nada lhes escapa, tudo é preciso, ajustado, em detalhes, sempre com prazer, alegria, entusiasmo, abnegação, enfim é a preservação da beleza, da emoção, do prazer e principalmente do amor pela Vida!

Com o tempo os jardineiros vão se envolvendo com outras coisas, o tempo fica menor e mais apertado, eles passam por ali de vez em quando, jogam uma aguinha e pensam: deixe que a Natureza cuide, a água da chuva e o Sol!

E o Tempo, na real é implacável, as pessoas deixam naturalmente de cuidar de suas coisas e do seu lindo e viçoso jardim, as flores murcham, morrem, viram NADA!

Uma pena tanta emoção, beleza e envolvimento jogados fora em meses, às vezes de uma só vez!

Aquele cuidar espontâneo e motivador torna-se obrigação, as observações mais duras, as cobranças também, pressão de todos os lados, interferências externas, provocadas por terceiros de todo o tipo e peso de representatividade, enfim isso acaba com a magia do amor e do prazer supremo e assim como aquele lindo jardim as coisas tendem a acabar de forma lamentável, tempo perdido, vidas magoadas e tristes e ninguém, na real, dá atenção a isso, poucos tendem a tentar ajustar isso, a consertar e a corrigir o rumo da situação. E como tudo na Vida uma bela história de amor, parceria e cumplicidade podem vir a se esvair pelas mãos.

Culpados: A vida? A rotina implacável? As situações cotidianas? Certamente que não! As pessoas? Certamente que sim! Somos nós que deixamos o jardim murchar definitivamente e de forma irrecuperável, tão lindo e viçoso que era, parecia de um conto de fadas e no entanto voltou a ser apenas barro, terra. E assim ocorre com os namoros incríveis, as relações, as aproximações fantásticas, mesmo com bom tempo de convivência pré cotidiano, em comum, maravilhosas. Passou a dividir o mesmo teto, isso basta para o encanto ir se quebrando. Muito triste isso!

Óbvio que as rotinas diversas, as pressões de todo o tipo, a busca incessante pelo TER e não pelo SER, acabam contribuindo para isso, entretanto as pessoas são as maiores responsáveis. Na realidade, deixam de regar suas plantas e flores com delicadeza e cuidados todos os dias, a distancia vai aumentando perigosamente e as vezes o afastamento definitivo é inevitável, assim como o jardim que se acaba em nada.

Ao longo da Vida percebi que as pessoas perdem muito tempo impondo regras exageradas de convivência em comum,  interferem nas individualidades e na privacidade pessoal do seu parceiro, como se isso lhe fosse dado como direito. A Vida em comum não recomenda nem determina isso, o respeito é fundamental entre as pessoas, principalmente as que têm algo em comum e precioso: suas Vidas!

Melhorar a si próprio e ao outro é importante e muitas vezes necessário, contudo sem exageros. Cuidar bem, ser atencioso e interessado no bem estar do outro, não quer dizer possessão.  Este cuidado a meu ver, aliado a um diálogo aberto e constante, é de fundamental importância para a convivência feliz e a preservação do lindo jardim em comum. Isto aliado ao amor de verdade,  a demonstração freqüente de carinho, atenção, compreensão, paciência, paixão, entusiasmo, liberdade, confiança, partilhamento e compartilhamento, enfim e amor, muito amor mantém a magia e a chama permanentemente acesa entre as pessoas que se amam, e isto serve também, sob meu ponto de vista, para a convivência em geral e outros ambientes de convívio e inter relacionamento.

Como cuidar da vida em geral, das flores, da comunidade, do Mundo e do Universo, se não cuidamos do que nos é mais valioso, nossas Vidas?
Em minha trajetória de erros e acertos, enganos e alegrias, satisfações e decepções, tento pelo menos manter intensa esta chama. Sou difícil, exigente, formal e informal, mas sincero sempre, procuro ser leal,  agir corretamente, antes de tudo comigo e, sobretudo com minha parceira amada. Reflito muito em mim, auto reflexão é fundamental para a minha proposta de vida. Criticar o outro é fácil!

É importante demais passar a observar e jamais perder de vista, ao longo de um fluxo vital, “os sinais do destino e do Universo”, perceber, sentir, antecipar, estar próximo, isso é vital para a convivência. Evidente que por sermos humanos erramos, deixamos de observar e muito, e isso tende a complicar um pouco mais, com certeza  a vivencia e a maturidade ajudam um pouco neste processo.

Para manter a magia, os mistérios, a convivência feliz e saudável, imagino ser necessário observar e cuidar muito do outro, com certeza, sem contudo tentar anulá-lo, sem a proposta de posse. Claro que possuí-lo sim, porém com muito amor e carinho e nos momentos de entrega à paixão e ao seu fogo que incendeia  íntimos e almas, que pode ser eterno se soubermos alimentá-lo com atenção, habilidade e carinho, quando vale a pena e quase sempre vale, certamente manterá todo o encantamento da convivência tornando-a mais forte para o dia a dia e suas rotinas desgastantes. Vamos em frente cuidando bem de nossos jardins lindos e floridos!

9 comentários:

Velvet Poison disse...

O tempo? Saco Jorge Luís Borges:

"Sentimo-nos deslizar pelo tempo, isto é, podemos pensar que passamos do futuro para o passado, ou do passado para o futuro, mas não há um momento em que possamos dizer ao tempo: "Detém-te! És tão belo...!", como dizia Goethe. O presente não se detém. Não poderíamos imaginar um presente puro; seria nulo. O presente contém sempre uma partícula de passado e uma partícula de futuro, e parece que isso é necessário ao tempo."

Jane Di Lello disse...

Parabéns Ilustre amigo!
Belíssimo texto.
Sábias palavras,termos e expressões de fáceis compreensão,+ com profundas realidades.
Dignamente um real e belo texto.
Feliz em poder fazer parte dos seus amigos e leitores.
"O homem é mortal por seus temores e imortal por seus desejos"Pitágoras.
BeiJanesss no coração.
Jane Di Lello.

dridri_barbosa disse...

Nunca vi tanta verdade num texto só !!!.
Mas vindo de vc né meu amigo, é normal...mas uma vez escreveu majestosamente...parabéns !!

to-deolho disse...

CARO RICARDO

QUANDO O JARDIM EXTERNO DA RELAÇÃO HUMANA ESTÁ DETERIORADO É POR QUE O JARDIM INTERNO DE CADA UM SE DESFACELOU.

Marisa Cruz

Marco Sobreira disse...

Caro amigo,

Dizer o que? vc disse tudo, numa linguagem fácil e apaixonante, é isso mesmo, assim é a nossa vida.
Não conhecia esse seu lado, foi brilhante. Parabéns

CRITICANDO A MÍDIA disse...

As coisas perdem o encanto porque como seres humanos somo limitados demais no quesito compreensão de tudo em nosso redor.
Texto escrito com uma sensibilidade impar!!! Parabéns amigo!!!
Bjão
Ivete

Rose disse...

Precisamos tanto de referências, nossa sociedade se degrada e embarca na onda da mediocridade que avança sem pedir licença.
Poucos tem essa coragem de apresentar valores que possam resgatar a boa convivência e a noção de responsabilidade que cada um de nós precisa assumir sem medo ou fuga da realidade.

Anônimo disse...

Texto precioso , mostra que voce esta atento a seu tempo . Parabéns! @Sulains

Carla Pola disse...

Quem ama, sempre se encanta!! Beijocas