Contador de Visitas

Seguidores

domingo, 22 de maio de 2011


“Trabalho Escravo”
Ricardo Martins
Não é de hoje que esta prática nojenta e fora de qualquer propósito é imposta a trabalhadores pouco esclarecidos, ignorantes e analfabetos ou a pessoas simples que necessitam e se dispõem a trabalhar a qualquer custo.
O que ocorre ainda nos dias de hoje contra estes trabalhadores é crime cruel e bárbaro.

Normalmente são homens recrutados em suas cidades natal, no Norte e Nordeste, interior de Minas Gerais e outros recantos longínquos e desprovidos de melhor sorte pelo Brasil afora e trazidos para os canteiros de obra, via de regra, a partir de grandes vantagens, propostas mirabolantes e salários atrativos e na real são colocados em verdadeiras pocilgas, sem conforto e dignidade alguma. Isso ocorre nas grandes cidades e capitais de todo o país, frequentemente, diria até cotidianamente. E isso não acontece apenas em empreendimentos privados, em inúmeros canteiros de obras públicas também existe o trabalho escravo e isso é flagrante crime contra a pessoa.

O mais grave é que como no Brasil “não existe crime”, o que há é delito, para magistrados desinteressados e aos olhos das leis mal aplicadas por estes, os contratantes não tem a devida, justa, rigorosa e merecida punição e continuam a praticar esta atrocidade com trabalhadores humildes, crédulos e interessados em trabalhar.

De vez em quando temos conhecimento de alguma ação da fiscalização do Ministério do Trabalho onde são descobertos acampamentos degradantes e indignos abrigando estes operários, normalmente em situação precaríssima, ocorre algum barulho, porém logo isso é esquecido, ninguém é punido e fica por isso mesmo.

Havendo interesse real em punir alguém basta procurar nos canteiros de obras nos centros das grandes cidades brasileiras. Isso não ocorre e a IMPUNIDADE que permeia o Brasil se estende também a esta questão desagradável e criminosa que é tratada sem nenhum interesse pelas autoridades constituídas, que ao fechar os olhos as incentivam perigosamente.

Em todos os aspectos a situação que permanece é lamentável e certamente desonra e envergonha o cidadão de caráter deste país, que é dependente, vítima e refém deste sistema irracional, deprimente e injusto e das pessoas que o controlam e administram sob a ótica apenas de seu interesse pessoal ou de tirar vantagens deste.

Verdadeiramente deplorável!

4 comentários:

Marco Sobreira disse...

Verdadeiramente aviltante a situação desses trabalhadores amigo, e o que é pior, as obras do PAC estão cheias de trabalhadores vivendo em situação sub-humana. Empreiteiros só querem saber do lucro, as obras estão superfaturadas porque têm que pagar as propinas e os famosos 10% de comissão para os politicos. É preciso ação enérgica do Ministério Público, o que infelizmente não está acontecendo, esse país virou terra de ninguém, todo mundo quer roubar, o exemplo vem de cima. Parabéns mais uma vez pelo corjoso texto.

to-deolho disse...

Caro Ricardo

QUANDO UM GOVERNO FAZ DE TUDO PARA DESTRUIR O DESENVOLVIMENTO HUMANO DO POVO O QUE PODEMOS ESPERAR DO SETOR PRIVADO?????? A MESMA LINHA DE CONDUTA!!!!!
PARABENS PELO TEXTO QUE NOS TRAZ LUZ PARA CAMINHARMOS EM UMA ÚNICA NOTA: "DECÊNCIA"

Marisa Cruz

Anônimo disse...

Infelizmente situações como o articulista denuncia são vcerdadeiramente "cenas do cotidiano". Em alguns casos nem trazem mais indignação. é necessário a aplicação de penas mais pesadas e a real intervenção do Estado para coibir tais crimes que são hediondos, contra a dignidade humana e até contra a humanidade!
Paulo Rolim - Goiânia - Go

Geraldo Oliveira disse...

É humilhante a situação que estas pessoas enfrentam em troca de um trabalho. Se bem que já foi colocado aqui existem outras formas de escravidão servil, no trabalho, que já passam incognitamente por nossas vistas como normais.